• Acessibilidade:

A CANÇÃO DO (MEU) EXÍLIO

Publicado em 19 de setembro de 2018

Eu também tenho saudades
daquelas tardes fagueiras
em que transcorreu
minha infância querida…

a antífona dos galos
despertava o dia
o silêncio das estrelas
adormecia a noite…

ainda me lembro
das mangas maduras
dos cajus dourados
das jabuticabas orvalhadas
das bananas-maçã
das limas e laranjas
dos jambos e goiabas
que eu apanhava no pé
e deitado no colo do quintal
comia…

Todavia em dado momento
inesperadamente
entre as cores da manhã
descobri convidativos caminhos…

então fixei minhas pegadas
na poeira de nossa rua
e parti…

Agora aqui estou
faz calor, faz frio
faz muito tempo…

é uma cidade grande
em que o Sol elabora o dia
em que trevas iluminadas
produzem a noite…

em que horizontes auspiciosos
indicam a direção de um oásis
à caravana dos meus sonhos.

por Ursulino Leão.

  • Compartilhe: